No último sábado, dia 16 de fevereiro de 2019, representantes do Sintunifesp participaram unidos a cerca de 200 servidores de diversas categorias do setor público de São Paulo, de mais de 30 entidades e associações de classe distintas, do 1º Encontro dos Trabalhadores do Setor Público de São Paulo e aprovaram por unanimidade construir unitariamente a mobilização contra a reforma da Previdência. O debate em defesa da aposentadoria conseguiu encaminhar a construção de um calendário de lutas unificado com destaque para a participação na Assembleia Nacional da classe trabalhadora no neste dia 20/02 às 10h na praça da Sé.

Organizado pelo Fórum dos Trabalhadores do Setor Público no Estado de São Paulo, do qual o Sintunifesp participa com mais 13 entidades de classe do setor público, o encontro reuniu trabalhadores do funcionalismo municipal, estadual e federal, que, ao longo do dia debateram a importância da unidade para combater os ataques dos governos.

Pela manhã, os servidores participaram de palestras que aprofundaram o debate sobre os planos e ataques do governo contra os trabalhadores do serviço público e do setor privado. A lógica de uma ‘reforma’ da Previdência que pretende desmontar o regime de repartição e seu impacto sobre os direitos sociais foram detalhados pela professora Sara Granemann, da Escola de Serviço Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Já o advogado César Lignelli, coordenador do departamento jurídico do Sintrajud, falou sobre as ameaças já feitas pela equipe de governo sobre os direitos e conquistas do funcionalismo. Por fim, o professor Marcus Orione, da Faculdade de Direito da USP, abordou a necessidade de organização dos trabalhadores e os limites da estrutura sindical em vigor para enfrentar em defesa dos direitos.

Depois dos painéis, os participantes montaram grupos de trabalho. Além da prioridade da luta em defesa da aposentadoria, os servidores também aprovaram como eixos de luta a defesa dos serviços públicos e da estabilidade, contra a criminalização dos movimentos sociais, em defesa da realização de concursos públicos, a luta contra a precarização, pela revogação da Reforma Trabalhista, da Lei de Terceirização e da EC95, contra o assédio moral e sexual.

“Este encontro foi uma grande vitória, mas é só inicio, queremos reunir mais entidades no Fórum dos Trabalhadores do Setor Público no Estado de São Paulo para fortalecer a construção da mobilização unificada que consiga evitar retrocessos e retirada de direitos”, destacou Henrique Sales, servidor do TRT e diretor do Sintrajud.

Calendário de mobilização aprovado no encontro:

1) Participação no FONASEFE dia 17/02;
2) Representação na Assembleia de greve dos servidores municipais, dia 19/02 às 14 horas, em frente à Prefeitura de São Paulo;
3) Participar da Assembleia Nacional dos Trabalhadores, dia 20/02 às 10 horas, na Praça da Sé;
4) Participar no debate sobre Reforma da Previdência e Dívida Pública promovido pela CSP-Conlutas, dia 25/02 às 19 horas, na Rua da Glória, 152 – Liberdade;
5) Participar da próxima reunião do Fórum dos Trabalhadores do Setor Público no Estado de São Paulo, dia 27/02 às 19h30, no Sinsprev (Rua Antônio de Godói, 88 – 2º andar);
6) Acompanhar e construir ações referentes ao provável julgamento no STF, dia 27/02, que pode ferir de morte a estabilidade e o plano de carreira dos servidores públicos em todas as esferas;
7) Participar do ato em homenagem ao Dia Internacional de Luta das Mulheres – 8M (concentração às 16 horas, no Masp);
8) Participar do ato que lembra um ano da morte da vereadora Marielle Franco, no dia 14/03 às 17 horas no Masp;
9) Construir através de uma solidariedade ativa, por meio de ações, um Dia Estadual de Apoio à Greve dos Trabalhadores Municipais da capital paulista, na data da próxima assembleia posterior à deste dia 19/02.

Assessoria de Comunicação do Sintunifesp

Fonte: com elementos da matéria publicada pelo Sintrajud em 18/02/2019. Acesse na íntegra: https://www.sintrajud.org.br/trabalhadores-do-setor-publico-de-sp-aprovam-calendario-de-lutas-em-defesa-da-aposentadoria/