Nesta quarta-feira, dia 1º de novembro de 2017, foi realizada a Assembleia Geral e de Associados do Sintunifesp em tom de alerta para a ampliação dos ataques aos servidores públicos, entre eles a proposta de Medida Provisória (MP 805) já apresentada pelo governo para ampliação da contribuição da alíquota previdenciária de 11% para 14%, que na prática significa redução do salário. As discussões e encaminhamentos seguiram pela atenção à necessidade de se dizer basta aos ataques, ampliar e fortalecer a mobilização local e nacional, com maior unidade entre os segmentos e categorias de servidores públicos, municipais, estaduais e federais.

Com a seguinte pauta: 1) Avaliação do ato público do dia 27/10; 2) Indicativo de deflagração de greve para o dia 10/11 conforme deliberação da plenária da Fasubra, os servidores realizaram o diálogo, debate e os respectivos encaminhamentos:

1) Registrar a avaliação positiva do ato do dia 27/10, com participação e presença do Sintunifesp, como fundamental atividade de mobilização frente aos ataques aos servidores públicos, contudo, com baixa participação do segmento e respectivas categorias de servidores federais, demonstrando a necessidade de maior mobilização e diálogo entre federais, estaduais e municipais;
2) Retomar a construção de calendário de mobilização local com reuniões nos diversos setores e campi da universidade, com reuniões periódicas no Hospital Universitário durante os três períodos;
3) Propor e organizar atividades conjuntas entre os setores e segmentos municipais, estaduais e federais, ampliando e fortalecendo a mobilização; E de maneira complementar estreitar os vínculos e diálogo com as outras universidades federais do estado de São Paulo: UFABC e UFSCAR, unindo servidores federais em atividades conjuntas;
4) Realização de reuniões diárias do Comando de Mobilização Local do Sintunifesp, às 12h na sede do Sintunifesp a partir do dia 06/11 (próxima segunda-feira);
5) Propor reunião com as demais entidades da Unifesp no Conselho de Entidades para o fortalecimento da mobilização local;
6) Organização da próxima Assembleia com pauta de avaliação da mobilização e deflagração da greve no dia 10/11 (conforme deliberação da plenária nacional da Fasubra).

Portanto, os trabalhadores da Unifesp seguem buscando, por diversas frentes, a ampliação e fortalecimento da mobilização frente aos ataques aos servidores públicos, agora com especial destaque à bandeira contra a MP 805 que amplia a alíquota de contribuição previdenciária para 14% (que na prática reduz salário) e em constante avaliação do melhor momento para a deflagração da greve nacional. A Comissão de Mobilização do Sintunifesp segue fortalecendo seus trabalhos até a próxima assembleia geral marcada, inicialmente, para o dia 8 de novembro.

Assessoria de Comunicação do Sintunifesp