Nesta quarta-feira, dia 22 de novembro de 2017, os técnicos administrativos em educação do Sindicato dos Trabalhadores da Universidade Federal de São Paulo – Sintunifesp, em greve, manifestaram sua indignação frente aos ataques recebidos do governo federal que ameaça os serviços e servidores públicos como a saúde e educação. Desde cortes significativos de verbas para o funcionamento dos hospitais e universidades até medidas provisórias que retiram direitos conquistados como a estabilidade e carreira: um verdadeiro desmonte dos serviços públicos, esse é o contexto de luta dos trabalhadores da Unifesp!

Concentrados na sede do sindicato pela manhã desta quarta-feira os servidores iniciaram a caminhada por volta das 11h até o Hospital São Paulo alertando a população sobre as péssimas condições que o governo colocou os hospitais e universidades públicas, sem verbas e sem garantias de melhora para os trabalhadores e para a população que utiliza do serviço. O horizonte ainda é de piora da situação já que os cortes orçamentários serão mantidos por 20 de acordo com a EC 95 e os servidores continuam sob fortes ataques tendo sua carreira, previdência e estabilidade ameaçadas.

O Ato Público continuou até a Reitoria da Unifesp, com os participantes convocando tanto os demais servidores públicos quanto a população a expressarem sua indignação contra esse contexto que não afeta somente a realidade e o cotidiano da Unifesp, mas todo o país. A luta, a mobilização e a greve dos trabalhadores da Unifesp são com pauta nacional que atinge a todos e todas! Contra as reformas da previdência e trabalhista, contra o desmonte dos serviços públicos os ataques aos servidores!

Na Reitoria, os servidores retomaram parte das reivindicações locais, específicas da categoria dos técnicos, como, por exemplo, a jornada estendida e o plano de saúde. Pautas locais que refletem o contexto nacional de desmonte do serviço público. Como prosseguimento da mobilização o Comando Local de Greve do Sintunifesp buscou junto ao gabinete da Reitoria uma reunião para retomar as discussões da pauta local e também buscar apoio à pauta nacional, a pauta da greve. Saíram do prédio da Reitoria com o compromisso de resposta de agenda até essa sexta-feira, dia 24 de novembro, e também com o indicativo de realização de uma Assembleia Geral no Anfiteatro da Reitoria já para quinta-feira próxima às 12h para avaliar a greve junto à categoria.

Assessoria de Comunicação do Sintunifesp