Faça parte dessa luta! Filie-se ao Sintunifesp!
Categoria Unida! Juntos somos mais fortes! Filie-se ao Sintunifesp!
Parabéns Servidores pela conquista das 30H!

Nesta quarta-feira, dia 20 de dezembro de 2017, foi realizado um Ato Público dos trabalhadores da Universidade Federal de São Paulo. Em caminhada desde a sede da entidade até a reitoria da universidade a categoria mobilizada alertou a população sobre os ataques em âmbito nacional como a reforma da previdência e a precarização dos serviços públicos gratuitos e de qualidade, e também chamou atenção da comunidade sobre a pauta local como a flexibilização da jornada de trabalho que tanto afeta a melhoria de condições de serviço no Hospital São Paulo. Foi um dia de luta com muito entusiasmo e interação com a comunidade do campus São Paulo, especialmente o Hospital São Paulo, seus usuários e a população em seu entorno. Com uma grande estrutura, organização do comando local de greve, da nova diretoria colegiada do Sintunifesp e da categoria mobilizada, o ato teve uma beleza ímpar contagiando toda a comunidade, cumprindo sua função de alerta, informação e convite à resistência!

Concentrados por toda a manhã, confeccionando cartazes, ensaiando as palavras de ordem, a categoria dos trabalhadores da Unifesp se prepararam para o Ato Público na sede do Sintunifesp. Com saída por volta das 11h o Ato percorreu o entorno do HSP alertando a população usuária do serviço público de saúde e funcionários sobre a crise que a instituição atravessa, com verbas reduzidas, com falta de material básico e pessoal insuficiente para oferta de serviço de qualidade. Além das investidas privadas que corroem e ameaçam o escopo público e gratuito do hospital, das parcerias municipais e estaduais que camuflam o amplo corte de investimentos federais do ministério da saúde, tratando apenas os sintomas da precariedade mas sem efetivamente combatê-la. Os companheiros e companheiras do Sintunifesp também alertaram sobre o problema da mudança do caráter do hospital, ao desclassificá-lo como “hospital universitário” a instituição perde verbas específicas, deixa aos poucos de ser espaço de formação de novos profissionais da saúde e cria um horizonte de extrema incerteza pois os estudantes e residentes cumprem um função vital no hospital e no limite afasta o Hospital São Paulo da Universidade Federal de São Paulo.

Todo esse contexto de crise no Hospital São Paulo, somado ao momento de crise na universidade, também afeta diretamente as condições de trabalho do servidores públicos e esse foi igualmente tema dos alertas e palavras de ordem desse grande Ato Público da categoria. “Pela flexibilização de jornada, 30 horas já!” entoavam os servidores mobilizados, cobrando a gestão do HSP e da Unifesp o cumprimento do acordo sobre sua jornada garantindo isonomia a todos e todas que ocupam o mesmo espaço enquanto servidor público federal da área da saúde e educação.

Como a crise não é apenas local, mas também nacional, com o avanço da onda reacionária de ataques aos direitos conquistados pelos trabalhadores e trabalhadoras brasileiros, o Ato também cumpriu o objetivo de alertar a comunidade sobre a ameaça da reforma da previdência, e das investidas contra os serviços e servidores públicos de todo o País. Com muita informação, música e entusiasmo a comunidade foi convidada a refletir e resistir a esse momento de crise! “Juntos somos mais fortes!” foram palavras recorrente durante o ato, expressando a necessidade de união da população de maneira organizada para enfrentar os ataques a nível nacional.

A manifestação ainda contou com participação de representante do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo – APEOESP, Zé Carlinhos, expressando sua indignação frente a conjuntura nacional de ataques aos servidores públicos e sua solidariedade aos trabalhadores da Unifesp.

O Ato Público chegou por volta das 13h à reitoria da Unifesp, momento em que foram destacadas as reivindicações locais da categoria junto à gestão, comprados os acordos de negociações passadas, e destacada a pauta dos trabalhadores da Unifesp: flexibilização da jornada para todos os servidores; fim do controle de ponto biométrico; melhoria no atendimento de saúde do trabalhador; garantia do direito de transporte/estacionamento no local de trabalho; participação nas eleições para diretoria de enfermagem entre outros pontos que afetam o cotidiano do servidor.

Após manifestação em frente ao prédio da reitoria a categoria subiu ao quinto andar para cobrar diretamente a gestão os acordos realizados. E em contato com a chefe de gabinete foi reforçado a exigência da categoria organizada pelas 30 horas já! Com mais de 30 dias de greve, agora com as pautas locais assumindo a centralidade, foi exigida a negociação imediata das reivindicações, com reunião ainda nessa semana. E o compromisso da chefe do gabinete, uma vez que a reitora encontra-se em férias, foi de agendar tal reunião o mais rápido possível.

A entidade continuará pressionando para a defesa e conquista de seus direitos! O momento após o estabelecimento do compromisso de rápida negociação junto ao gabinete da reitoria da Unifesp foi de agradecimento aos envolvidos pelo importante ato público que contagiou toda a comunidade. “Seguimos na luta, em defesa do Hospital São Paulos, da saúde e educação pública e gratuita, e por melhores condições de trabalho para os servidores públicos! Não descansaremos até garantir nossos direitos e também da população!” foram palavras nos membros do comando local de greve e diretoria colegiada ao final do ato.

A luta continua!

Assessoria de Comunicação do Sintunifesp

Fale Conosco:

Acesse Intranet:

Parcerias

 

Sintunifesp no Youtube!

Sintunifesp no Facebook!

Acesse Unifesp:

Acesse Fasubra: